GO
CAT_MenuNF
_CAT_SearchNF_mobile

Procurar

Castanha do Brasil ELISA

DEPARE01
ELISA
Diagnostics
96 testes
Castanha do Brasil ELISA

Imunoensaio enzimático para determinação quantitativa de Castanha do Brasil em matriz alimentar.

Introdução: A castanheira do Brasil (Bertholletia excelsa) pertence à família das Lecythidaceae. A quantidade de proteína na castanha do Brasil é de cerca de 14%. Algumas dessas proteínas são conhecidas por serem alergénicas, como a albumina 2S Ber e 1 ou a legumina 11S Ber e 2. Em comparação com outras castanhas o potencial alergénico da Castanha do Pará ainda é pouco caracterizado. As alergias à Castanha do Brasil são relativamente raras, mas podem ser muito distintas em casos particulares. Para pessoas alérgicas à castanha do Brasil, os alérgenos da castanha do Brasil escondidos nos alimentos são um problema crítico. Já quantidades muito baixas de castanha do Brasil podem causar reações alérgicas, que podem levar ao choque anafilático em casos graves. Por isso, pessoas alérgicas à castanha-do-brasil devem evitar estritamente o consumo de alimentos que contenham castanha-do-brasil. A contaminação cruzada, principalmente em consequência do processo de produção, é frequentemente notada. Isso explica por que, em muitos casos, a existência de resíduos de castanha do Pará nos alimentos não pode ser excluída. Por esta razão, são necessários sistemas de deteção sensíveis de resíduos de castanha do Brasil em alimentos. Castanha do Brasil ELISA representa um sistema de deteção altamente sensível para a castanha do Brasil e é particularmente capaz de quantificar resíduos em biscoitos, cereais, sorvetes, chocolates e salsichas.

Descrição: O teste quantitativo de castanha do Brasil baseia-se no princípio do ensaio imunoenzimático. Um anticorpo dirigido contra as proteínas da castanha do Brasil é ligado à superfície de uma placa de microtitulação. Amostras ou padrões contendo castanha do Brasil são colocados nos poços da placa de microtitulação. Após 20 minutos de incubação à temperatura ambiente, os poços são lavados com solução de lavagem diluída para remover o material não ligado. Um segundo anticorpo conjugado com peroxidase direcionado contra as proteínas da castanha do Brasil é administrado nos poços e após 20 minutos de incubação a placa é lavada novamente. Uma solução de substrato é adicionada e incubada por 20 minutos, resultando no desenvolvimento de uma cor azul. O desenvolvimento da cor é interrompido pela adição de uma solução stop e a cor fica amarela. A cor amarela é medida fotometricamente a 450 nm. A concentração de castanha do Pará é diretamente proporcional à intensidade da cor da amostra de teste.

Características do produto:
- O kit contém reagentes para 96 ​​determinações;
- Placa de microtitulação composta por 12 tiras com 8 poços quebráveis;
- Padrões de castanha do Brasil: 0, 1, 4, 10, 40 ppm;
- Leitor de ELISA a 450 nm;
- Faixa padrão: 1 - 40 ppm;
- Sensibilidade analítica: 0.2 ppm.

Newsletter

×